Amor, criança, ensino

Era uma vez uma flor

Era uma vez uma flor que nasceu no meio das pedras. Quem sabe como, conseguiu crescer e ser um sinal de vida no meio de tanta tristeza.

Passou uma jovem e ficou admirada com a flor. Logo pensou em Deus. Cortou a flor e a levou para a igreja.
Mas, após uma semana a flor tinha morrido.

Era uma vez uma flor que nasceu no meio das pedras. Quem sabe como, conseguiu crescer e ser um sinal de vida no meio de tanta tristeza.
Passou um homem, viu a flor, pensou em Deus, agradeceu e a deixou ali; não quis cortá-la para não matá-la. Mas, dias depois,
veio uma tempestade e a flor morreu…

Era uma vez uma flor que nasceu no meio das pedras. Quem sabe como, conseguiu crescer e ser um sinal de vida no meio de tanta tristeza.
Passou uma criança e achou que aquela flor era parecida com ela: bonita, mas sozinha. Decidiu voltar todos os dias.
Um dia regou, outro dia trouxe terra, outro dia podou, depois fez um canteiro, colocou adubo…

Um mês depois, lá onde tinha só pedras e uma flor, havia um jardim!
Assim se cultiva uma amizade… entendeu?

 

Motivacional, Orientação

Pedras no caminho

Uma das decisões mais importantes da nossa vida
é escolher um caminho para seguir
esse caminho dirá muito do futuro que queremos
e dos sonhos e objetivos que planejamos
mas a verdade é que em um momento ou outro
todos encontraremos uma pedra no meio do caminho
e sabe os problemas não são as pedras que encontramos, não!
Para Moisés as pedras foram um papel perfeito
para Deus escrever os seus mandamentos (Êxodo 31:18)
para Davi pedras foram as armas que derrubou o seu gigante (I Samuel 17:49)
para Gideão pedras foram necessárias para reedificar um altar (Juizes 6)
para Jacó uma pedra se tornou um travesseiro para o seu descanso (Genesis 28:11)
para a mulher adultera as pedras no chão foram o maior livramento para sua vida (João 8)
o problema está naquilo que deixamos o que essas pedras gerem dentro de nós
você consegue entender?
As pedras podem destruir sim! Mas nas mãos de quem é disposto e tem visão
são instrumentos para reconstrução de algo ainda mais bonito e forte
pedras podem fazer cair sim! Mas nos olhos de quem é sincero e arrependido
sempre serão motivos para se levantar mais uma vez
pedra ferem e machucam sim! Mas no caminho de quem entende o propósito pelo qual está vivendo
são marcas de um sofrimento que não foi maior e nem mais forte do que o amor
por quem está esperando no final do caminho, JESUS CRISTO.
se permitimos elas irão nos derrubar sim, mas sabe elas passam,
ainda podemos levantar e reedificar o altar que se quebrou
pedras não param ninguém, apenas quem já queria um motivo para parar
talvez se reagirmos de uma forma diferente elas não destruiriam tanto
elas não seriam quedas todas as vezes, elas não seriam feridas por tanto tempo
elas seriam vertígios de um caminho que nos tornou muito mais resistentes, firmes e constantes
JESUS nos ensina que a casa que está edificada sobre a rocha não será abalada (Mateus 7:25)
ou seja não é derrubar ou construir a casa, não!
A rocha está lá para que a casa seja levantada e construída sobre ela
o nosso erro está em usar como desculpa para permanecer no chão
aquilo que DEUS permite que aquilo que está no meio do caminho para nos ensinar como caminhar
e a verdade é essa cada pedra no meio do caminho nos ensina a caminhar melhor
sabe, a pedra que tapou o sepulcro?, para muitos significou o fim
mas para CRISTO e aqueles que creem Nele foi a porta que se abriu
para a reconciliação entre o nosso DEUS e quem nós somos
lapide suas pedras pode existir um tesouro escondido em cada uma delas!

Amizade, Amor, Deus

As pedras grandes na vida

pedras

Um professor de filosofia, especialista em “gestão do tempo”, quis surpreender seus alunos durante uma aula. Tirou de baixo de sua mesa um recipiente grande de boca larga. Colocou-o sobre a mesa ao lado de uma pilha de pedras do tamanho de um punho e perguntou:

– Quantas pedras vocês acham que cabe neste recipiente?

Após algumas conjeturas dos presentes, o professor começou a colocar as pedras até encher o recipiente. Então perguntou:

– Está cheio?

Todos olharam para o recipiente e disseram que sim.

Em seguida, ele tirou um saco de pedrinhas bem pequenas de baixo da mesa. Colocou parte delas dentro do recipiente e agitou-o. As pedrinhas se infiltraram nos espaços entre as pedras grandes.

O professor novamente perguntou:

– Está cheio?

Alguns alunos retrucaram, mas todos concordaram que sim.

– Muito bem, exclamou o professor, pousando sobre a mesa um saco de areia, que começou a despejar dentro do recipiente. A areia infiltrava-se nos pequenos buracos deixados pelas pedras e pedrinhas. Está cheio? , perguntou de novo.

Dessa vez, alguns alunos duvidaram:

– Talvez não…

Pegou então um jarro e começou a derramar água dentro do recipiente, que a água absorvia sem transbordar. Então ele deu por encerrada a experiência e retrucou:

– Agora sim, está cheio. Bem, o que podemos aprender com esta demonstração?

Um aluno levantou e disse:

– Professor, talvez o senhor queira dizer que não importa o quanto cheia esteja a nossa agenda. Se quisermos, sempre conseguiremos fazer com que caibam outros compromissos e diversões.

– Na verdade, não é bem isso. O que esta lição nos ensina é que, se não colocarmos as pedras grandes primeiro, nunca seremos capazes de colocá-las depois. Pense bem…

O professor então pegou outro recipiente, outras pedras grandes, outras pedrinhas, outro saco de areia e outro jarro da água. O professor começou colocando a água, depois a areia, após as pedrinhas pequenas, mas quando foi colocar as pedras grandes, estas já não cabiam no recipiente.

E quais são as pedras grandes em nossa vida? São Deus, os nossos filhos, a pessoa amada, os amigos, os nossos sonhos, a nossa saúde. O resto, é resto, e encontrará o seu lugar.

Amizade

UMA FLOR

flor-entre-as-pedras_977_1600x1200

Era uma vez uma flor que nasceu no meio das pedras. Quem sabe como, conseguiu crescer e ser um sinal de vida no meio de tanta tristeza.

Passou uma jovem e ficou admirada com a flor. Logo pensou em Deus. Cortou a flor e a levou para a igreja.
Mas, após uma semana a flor tinha morrido.

Era uma vez uma flor que nasceu no meio das pedras. Quem sabe como, conseguiu crescer e ser um sinal de vida no meio de tanta tristeza.
Passou um homem, viu a flor, pensou em Deus, agradeceu e a deixou ali; não quis cortá-la para não matá-la. Mas, dias depois,
veio uma tempestade e a flor morreu…

Era uma vez uma flor que nasceu no meio das pedras. Quem sabe como, conseguiu crescer e ser um sinal de vida no meio de tanta tristeza.
Passou uma criança e achou que aquela flor era parecida com ela: bonita, mas sozinha. Decidiu voltar todos os dias.
Um dia regou, outro dia trouxe terra, outro dia podou, depois fez um canteiro, colocou adubo…

Um mês depois, lá onde tinha só pedras e uma flor, havia um jardim!
Assim se cultiva uma amizade… entendeu?

_____________________________________________________________