Conto, Humor, Opinião

Pela primeira vez na história

pintura-tecido-bonrco-de-neve.jpg

Nevou em Maraú (Bahia), pela primeira vez na história! ☃

8:00 Eu fiz um boneco de neve.

8:10 Uma feminista passou e me perguntou porque eu não fiz uma mulher de neve.

8:15 Eu fiz uma mulher de neve.

8:17 Minha vizinha feminista reclamou do perfil voluptuoso de mulher da neve dizendo que ela ofende as mulheres de neve em todos os lugares.

8:20 O casal gay que mora nas proximidades teve um ataque de raiva e protestou, porque poderiam ter sido dois homens de neve.

8:22 Um transgênero da outra rua me perguntou por que não fazia um boneco com partes removíveis.

8:25 Os veganos no final da rua se queixaram do nariz de cenoura, já que os vegetais são comida e não para decorar bonecos de neve.

8:31 O cavalheiro muçulmano do outro lado da rua exige aos berros que a mulher de neve use uma burca.

8:40 A polícia chega dizendo que há uma denúncia anônima contra mim, de alguém que foi ofendido pelo meu racismo e discriminação, porque os bonecos são brancos.

8:42 A vizinha feminista reclamou novamente que a vassoura da mulher de neve deveria ser removida porque ela representa as mulheres em um papel doméstico de submissão.

8:43 Um promotor chegou e ameaçou me processar se eu não pedisse desculpas públicas pelo maldito boneco de neve.

8:45 A equipe de jornalismo da TV apareceu. Eles me perguntam se eu sei a diferença entre bonecos de neve e mulheres de neve. Eu respondo: as “bolas de neve” e agora elas me chamam de sexista.

9:00 Estou no noticiário como um suspeito, terrorista, racista, delinquente, com tendências homofóbicas, determinado a causar problemas durante o mau tempo. Estou passando por tudo isso por causa dos malditos bonecos de neve!!

9:05 Quem mandou fazer a porcaria dos bonecos de neve?… Estão me perguntando se eu tenho um cúmplice. Ou se alguma organização me incentivou a fazer os bonecos, nas redes sociais.

9:29 Os manifestantes da extrema esquerda e da extrema direita, ofendidos por tudo, estão marchando pelas ruas exigindo que me decapitem.

9:32 Os comunistas marcham em frente à minha casa acusando-me de ser neonazista.

9:35 As feministas me xingam e pintam a fachada da minha casa com a palavra “machista”.

9:45 Os evangélicos me acusam de querer usurpar o lugar de Deus, por criar um homem e uma mulher de neve, e querem me exorcizar, dizendo que eu realizei um ritual pagão.

9:55 Organizações ambientais me acusam de poluir a neve.

Moral da história: não há
É apenas o mundo em que vivemos hoje e vai piorar.
O que foi aqui narrado pode ocorrer,
e algumas coisas já estão acontecendo.
De tudo isso, a coisa mais difícil de acontecer
é nevar em Maraú.

Estou pensando… e você?

ensino, Mensagem, Motivacional, Opinião

CARTA DE UM HOMEM

Prezada mulher,

Há uma coisa que eu quero que você entenda sobre nós HOMENS.

Quando você posta fotos seminuas de si mesma no Facebook, fazendo uma pose sexy, mostrando os seios, ou deitada sedutoramente em sua cama, a única coisa que você está nos fazendo sentir é desejo sexual por você.

Eu sei que você vai ficar tão animada com as 500 curtidas, os 120 comentários pra lá de fofos e as inúmeras mensagens privadas, que vai querer postar cada vez mais fotos pra se sentir cada vez mais no topo.

MAS TEM UMA COISA IMPORTANTE QUE VOCÊ PRECISA SABER. Na realidade, nenhum desses caras que curtem, comentam, ou enviam mensagens privadas ama você. Tudo o que eles querem é usá-la e depois jogá-la fora. Para ser sincero, eles odeiam você, pois nenhum deles a levaria para casa para ser sua esposa. Acredite em mim, para eles, você não passa de uma menina de programa em busca de popularidade barata no Facebook.

Os homens, ricos ou pobres, admiram mulheres que se vestem com decência e se respeitam. Uma vestimenta decente, que não revela muito o seu corpo, nos leva a amar e respeitar você. Ela nos diz que você é uma mulher virtuosa, alguém que podemos levar para casa para ser nossa esposa e mãe dos nossos filhos. Ela nos diz que você foi criada com princípios morais e nos dá detalhes do seu bom histórico familiar.

Nós não nos preocupamos muito com maquiagem excessiva… uma mulher que serve para ser esposa sempre se sobressai, não importa o quê.

Valorize o seu corpo, seja verdadeira, se respeite, e um bom homem que vai respeitá-la vai encontrá-la de um jeito ou de outro.

Copiado do Blog da Cristiane Cardoso

Escritora dos livros ‘Melhor do que Comprar Sapatos’, ‘A Mulher V’, e ‘Casamento Blindado’. Fundadora de ‘Godllywood’ e ‘Projeto Raabe’. Apresentadora do programa ‘Escola do Amor’ na Rede Record aos sábados 12h.

ensino, Sabedoria

O MUNDO E O HOMEM

world-1

Um cientista vivia preocupado com os problemas do mundo e estava resolvido a encontrar meios de melhorá-los. Passava os dias em seu laboratório, em busca de respostas para suas dúvidas. Certo dia, seu filho de sete anos invadiu o seu santuário decidido a ajudá-lo a trabalhar. O cientista, nervoso pela interrupção, insistiu para que o filho fosse brincar em outro lugar. Vendo que seria impossível removê-lo, o pai procurou algo que pudesse ser oferecido ao filho com o objetivo de distrair-lhe a atenção. De repente, deparou com o mapa do mundo e pensou: “É isso.” Com o auxílio de uma tesoura, recortou o mapa em vários pedaços e, junto com um rolo de fita adesiva, entregou-o ao filho, dizendo:

— Você gosta de quebra-cabeças, não é? Então, vou dar-lhe o mundo para consertar. Aqui está o mundo todo quebrado. Veja se consegue consertá-lo bem direitinho. Faça tudo sozinho.

Calculou que a criança levaria dias para recompor o mapa. Algumas horas depois, ouviu a voz do filho que o chamava calmamente…

— Papai, papai, já fiz tudo. Consegui terminar tudinho!

A princípio o pai não deu crédito às palavras do filho. Seria impossível, na sua idade, ter conseguido recompor um mapa que jamais havia visto. Relutante, o cientista levantou os olhos de suas anotações, certo de que veria um trabalho digno de uma criança. Para sua surpresa, o mapa estava completo. Todos os pedaços haviam sido colocados nos devidos lugares. Como seria possível? Como o menino havia sido capaz?

— Você não sabia como era o mundo, meu filho, como conseguiu?

Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando você tirou o papel da revista para recortar, vi que do outro lado havia a figura de um homem. Quando você me deu o mundo para consertar, eu até tentei, mas não consegui. Foi então que me lembrei do homem. Virei os recortes e comecei a consertar o homem que eu já conheço bem. Quando consegui consertar o homem, virei do outro lado e vi que dessa forma eu havia consertado o mundo.