Amor, Confiar, Deus, ensino

O que você tem derramado?


“Você está segurando uma xícara de café quando alguém chega e encosta ou balança seu braço, fazendo com que derrame o café por todo lado.
Por que você derramou o café?
“Bem, porque alguém encostou em mim, é claro!” Resposta errada.
Você derramou o café porque o café estava na xícara. Se dentro houvesse chá, você teria derramado chá. O que quer que esteja dentro da xícara é o que será derramado.
Portanto, quando a vida chega e balança você (algo que com certeza irá acontecer), seja o que for que esteja dentro de você irá sair. É fácil fingir até que você seja chacoalhado.
Então temos de perguntar a nós mesmos… o que há dentro da minha xícara? Quando a vida fica difícil, o que derrama? Alegria, gratidão, fé, paz e humildade? Ou fúria, medo, dúvida, amargura, palavras e ações duras? Você escolhe!
Hoje vamos nos esforçar para encher nossas xícaras com gratidão, perdão, alegria,fé, palavras de Deus para nós e aos outros, bondade, gentileza e amor.”

Entre no esconderijo do Altissimo! Lugar mais seguro não há.
Salmos 91:1-16
O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz ao SENHOR: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio. Pois ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa.

Confiar, ensino, Verdade

Duas situações

O desenho mostra 2 copos iguais, contendo
a mesma quantidade de água, mas mostra
2 reações diferentes. Enquanto uma pessoa
se afoga, a outra flutua. Sabe por que isso?
Porque não são as situações que roubam a
nossa paz, mas a forma de reagir a elas. Na
vida é sempre assim: Enquanto um reclama o
outro agradece, enquanto um se apavora, o
outro ora, enquanto um fala demais o outro
silencia, situações parecidas, reações diferentes
Às vezes, não podemos controlar o que acontece
conosco, mas podemos escolher como vamos reagir

“Os que confiam no Senhor serão como o monte de Sião,
que não se abala, mas permanece para sempre.
Assim como estão os montes à roda de Jerusalém,
assim o Senhor está em volta do seu povo desde agora
e para sempre.”
Salmo 125

Confiar, medo

A corda

Esta é a história de um alpinista
que sempre buscava superar mais e mais desafios.
Ele resolveu, depois de muitos anos de preparação,
escalar o Aconcágua.
Ele queria a glória somente para si e resolveu então
escalar sozinho sem nenhum companheiro,
o que não seria natural
no caso de uma escalada dessa dificuldade.
Ele começou a subir e foi ficando cada vez mais tarde.
Porém ele não havia se preparado para acampar
e resolveu seguir a escalada, decidido a atingir o topo.
Escureceu,
e a noite caiu como um breu nas alturas da montanha,
e não era possível mais enxergar um palmo à frente do nariz,
não se via absolutamente nada.
Tudo era escuridão, zero de visibilidade,
não havia Lua e as estrelas estavam cobertas pelas nuvens.
Subindo por uma “parede”,
a apenas 100 metros do topo, ele escorregou e caiu..
Caía a uma velocidade vertiginosa, somente conseguia ver as
manchas que passavam cada vez mais rápidas na escuridão.
Sentia apenas uma terrível sensação
de estar sendo sugado pela força da gravidade.
Ele continuava caindo e, nesses angustiantes momentos,
passaram por sua mente todos os momentos felizes e tristes
que ele já havia vivido em sua vida.
De repente ele sentiu um puxão forte
que quase o partiu pela metade … shack!
Como todo alpinista experimentado,
havia cravado estacas de segurança com grampos a uma corda comprida que fixou em sua cintura.
Nesses momentos de silêncio,
suspenso pelos ares na completa escuridão,
não sobrou para ele nada além do que gritar:
– Oh, meu Deus! Me ajude!
De repente uma voz grave e profunda respondeu:
– O que você quer de Mim, meu filho ?
– Me salve, meu Deus, por favor!
– Você realmente acredita que Eu possa te salvar ?
– Eu tenho certeza, meu Deus.
– Então corte a corda que mantém você pendurado…
Houve um momento de silêncio e reflexão.
O alpinista se agarrou mais ainda a corda
e pensou que se largasse a corda morreria…
Conta o pessoal de resgate que no dia seguinte encontraram um alpinista congelado,
morto, agarrado com as duas mãos a uma corda …
a não mais de dois metros do chão.

E você… ??? Está segurando a corda… ???

Comunhão, coragem, Deus

Ação Espírito Santo na Guatemala

Bispo,

Como o senhor já deve saber, na Guatemala há muita criminalidade e, devido a isso, muitos vivem com medo, inclusive bandidos já entraram em algumas de nossas igrejas para ameaçar os pastores, mas graças a Deus nunca fizeram nada.

Há 7 meses, 6 homens armados até os dentes entraram em uma de nossas igrejas e quiseram levar o carro, ameaçando entrar na casa do pastor que morava em cima da igreja, mas nada ocorreu. Há uns dias, essa mesma igreja, já com outro pastor, foi novamente visitada pelos mesmos bandidos fortemente armados. Eles já chegaram dizendo que sabiam que era outro pastor e que tinham avisado que voltariam para levar tudo, pois se a igreja havia trocado de pastor para tentar evitar o roubo, não ia adiantar!

Mas a reação do pastor foi o mais engraçado, ele respondeu o seguinte para os bandidos:

– Olha, se você quiser levar tudo aqui pode levar, você está roubando a Deus. Você já roubou algo dEle?

Aí, um dos bandidos respondeu:
– Sim, pastor, eu já roubei e me dei mal!

O pastor disse:
– Olha, você sabia que eu vou toda semana lá no presídio orar pelos seus amigos?

O bandido respondeu:
– Não sabia não, você tá falando a verdade?

Aí o bandido começou a fazer perguntas ao pastor, tais como o nome dos carcereiros, nome do encarregado do presídio etc., só para ver se realmente era verdade que o pastor ia lá.

Depois, eles foram embora, mas retornaram no dia seguinte. Novamente os 6 homens armados chegaram à igreja e foram recebidos pelo pastor, aí o líder deles falou assim:

– Olha, nós fomos procurar saber se era verdade que você ia lá na prisão orar pelos nossos amigos presos, e descobrimos que é verdade. Inclusive, alguns deles nos pediram para não tocar nessa igreja, para cuidar de vocês, pois vocês são realmente homens de Deus!

Olha que forte, bispo!

Um deles disse assim:
– Não vamos roubar nada, mas como muitos comerciantes fazem aqui, e até igrejas, você vai nos pagar uma valor mensal para que a gente não roube a igreja de vocês!

O pastor respondeu:
– Rapaz, eu não posso e não vou te dar nada, eu não tenho nada, tudo aqui é de Deus!

Os bandidos ficaram abismados com a coragem do pastor e disseram assim:

– Bem que disseram que vocês dessa igreja são diferentes, tem um monte de igrejas que nos paga por medo e você nem está com medo da gente… Olha, então está bom! Vamos proteger vocês, ninguém aqui vai tocar em vocês!

E o pastor disse:
– Quem nos protege é Deus, rapaz!

Aí o bandido disse:
– Está bem, pastor! Então me doe umas roupas.

E o pastor marcou para que eles voltassem outro dia para buscar as roupas de doação!

É muito forte, bispo, pois aqui os bandidos fazem muita “extorsão”. Eles ameaçam comerciantes, motoristas de ônibus e até igrejas, que se não pagarem uma mensalidade, eles matam. E matam mesmo, bispo! Todos os dias saem notícias de assassinatos por essa razão no país, e olha só como nosso Deus e o trabalho no presídio faz toda diferença.

Faz pouco tempo que conseguimos entrar formalmente no presídio, pois aqui eles colocam muitos empecilhos, mas graças a Deus conseguimos e olha só o resultado! Plantamos para o céu e colhemos aqui na terra!

Muito forte!
Um abraço para senhor e a dona Ester!

Livramento, PREOCUPAÇÃO

A HORA MAIS ESCURA DA NOITE

ubatuba-ago-2008-047

Havia um índio da tribo Mayrahú, que morava próximo à um rio e que vivia muito bem com sua família. Ele plantava milho para consumo próprio e o que sobrava trocava com outros companheiros por arroz, trigo e outros cereais. Para complementar a alimentação de sua família ele pescava e caçava pelas redondezas. Durante muito tempo tudo corria na mais imensa paz e sua vida era um imenso mar de rosas, mas o ano que se aproximava lhe trazia surpresas nada agradáveis.

Nesse ano, houve uma seca muito grande, o rio secou, a sua plantação de milho morreu, e os animais que andavam por aquelas redondezas desapareceram. Para piorar as coisas, sua mãe que estava de idade avançada contraiu dengue, seu filhinho contraiu malária e sua esposa que estava grávida de 4 meses acabou tendo um aborto acidental. Tudo isso fez com que o nosso índio ficasse desesperado, pois além de estar passando fome tudo mais em sua vida estava dando errado. Ele já não sabia a quem recorrer e estado de agonia resolveu ir conversar com o ancião da tribo.

Ao chegar para conversar com o ancião, o amigo índio foi logo desabafando e contando todos os problemas que estava passando naquele momento. O ancião apenas ouvia atentamente sem proferir nenhuma palavra. O índio continuou falando, falando, falando até que percebeu que o ancião não havia proferido palavra alguma.

Desesperado e já em prantos, o índio gritou:
– Por favor ancião, me dê uma luz! Será que você não percebe o meu desespero. Já não sei mais o que fazer da minha vida.

O ancião suspirou e com uma voz calma disse:
– Meu filho, alegre-se, pois a hora mais escura da noite é aquela em que o sol está mais próximo de nascer.