Erro, Perdão

NO PRIMEIRO ERRO

14183774_10207521230571129_7160468759673234409_n

“O Último Rei da comunidade tinha dez cães selvagens. Ele usava para torturar e comer qualquer um dos seus servidores que cometesse um erro.
Um dos servos disse algo errado e o rei já não gostava dele. Então ele ordenou que o servo deveria ser jogado aos cães.
O servo disse: “Eu o servi por dez anos, e você faz isso comigo por favor me dê dez dias antes de me jogar aos cães?” E o rei lhe concedeu.
Nesses dez dias, o servo foi para o guarda que lida com cães e disse que gostaria de servir os cães durante os próximos dez dias. O guarda estava confuso, mas concordou e ao servo foi dedicado a alimentar os cães, limpeza, e banhar-los com todo o conforto para eles.
Quando os dez dias acabram, o rei ordenou que o servo fosse jogado aos cães como punição. Quando foi lançado, todo mundo ficou surpreso ao ver apenas os cães vorazes lamber os pés do servo!
O rei, perplexo com o que estava vendo, disse:
“O que aconteceu com meus cães?”
O servo respondeu: “Eu servi os cães apenas dez dias e não esqueceram os meus serviços, no entanto, eu o servi por dez anos e você se esqueceu de tudo, no meu primeiro erro.”
O rei percebeu seu erro e ordenou que o servo fosse salvo “.

Dedicado a todos aqueles que se esquecem as coisas boas que uma pessoa fez por eles e assim que a pessoa comete um erro, eles há a condenam.

Magoa, Perdão

O JOGUE FORA AS BATATAS

images

O professor pediu para que os alunos levassem batatas e uma bolsa de plástico para a aula. Ele pediu para que separassem uma batata para cada pessoa de quem sentiam mágoas, escrevessem os seus nomes nas batatas e as colocassem dentro da bolsa. Algumas das bolsas ficaram muito pesadas. A tarefa consistia em, durante uma semana, levar a todos os lados a bolsa com batatas. Naturalmente a condição das batatas foi se deteriorando com o tempo. O incômodo de carregar a bolsa, a cada momento, mostrava-lhes o tamanho do peso espiritual diário que a mágoa ocasiona, bem como o fato de que, ao colocar a atenção na bolsa, para não esquecê-la em nenhum lugar, os alunos deixavam de prestar atenção em outras coisas que eram importantes para eles.

Esta é uma grande metáfora do preço que se paga, todos os dias, para manter a dor, a bronca e a negatividade. Quando damos importância aos problemas não resolvidos ou às promessas não cumpridas, nossos pensamentos enchem-se de mágoa, aumentando o stress e roubando nossa alegria. Perdoar e deixar estes sentimentos irem embora é a única forma de trazer de volta a paz e a calma.

“Jogue fora suas “batatas”.

Perdão

PERDOAR É…

screenshot

Se alguém lhe atirasse uma pedra, o que você faria com ela?
Você a ajuntaria e guardaria para atirar no seu agressor em momento oportuno a ou jogaria fora?
Trataria dos ferimentos e esqueceria a pedra no lugar em que ela caiu?
Se você respondeu que a guardaria para devolver em momento oportuno, então pense em como essa pedra irá atrapalhá-lo durante a caminhada.
Vamos supor que você a guarde no bolso da camisa, onde fique bem fácil pegá-la quando for preciso.
Agora imagine como essa pedra lhe causará bastante desconforto.

*Primeiro porque será um peso morto a lhe dificultar a caminhada lhe exigindo maior esforço para mantê-la no lugar.

*Segundo porque cada vez que você for abraçar alguém, ambos sentirão aquele objeto estranho a machucar o peito.

*Terceiro porque se você ganhar uma flor, por exemplo, não poderá colocá-la no bolso já que ele estará ocupado com aquele peso inútil.

*Em quarto lugar, o seu agressor poderá desaparecer da sua vida e você nunca mais voltar a encontrá-lo e, nesse caso, terá carregado a pedra inutilmente.

Fazendo agora uma comparação com uma ofensa qualquer que você venha a receber, podemos seguir o mesmo raciocínio.
Se você guardar a ofensa para revidar em momento oportuno, pense em como será um peso inútil a sobrecarregar você.
Pense em quanto tempo perderá mentalizando o seu agressor e imaginando planos para vingar-se.
Pondere quantas vezes você deixará de sorrir para alguém pensando em como devolverá a ofensa.
E se você insistir em alimentar a idéia de revide, com o passar do tempo se tornará uma pessoa amarga e infeliz, pois esse ácido guardado em sua intimidade apagará o seu brilho e a sua vitalidade.
Mas se você pensa diferente e quando recebe uma pedrada, trata dos ferimentos e joga a pedra fora, perceberá que essa é uma decisão inteligente, pois agirá da mesma forma quando receber outra ofensa qualquer.
Quem desculpa seu agressor é verdadeiramente uma pessoa livre, pois perdoar é libertar-se.
Ademais, quem procura a vingança se iguala ao seu agressor e perde toda razão mesmo que esteja certo.
Somente pode considerar-se diferente quem age de forma diferente e não aquele que deseja fazer justiça com as próprias mãos.
Em casos de agressões que mereçam providências, devemos buscar o apoio da justiça e deixar a cargo desta os devidos recursos.
Todavia, vale ressaltar que perdoar não é apenas esquecer temporariamente as ofensas, é limpar o coração de qualquer sentimento de vingança ou de mágoa.
Pense nisso!

Às vezes ficamos tão preocupados em matar a cobra que nos picou, que esquecemos de tratar do veneno que está correndo em nossas veias.
Cuide bem de você, trate o veneno, aplique o perdão e cure sua alma! Quanto a cobra, deixe que ela siga o seu caminho, picar faz parte da sua natureza, um dia lá na frente, ela terá o que para as cobras está reservado!!!