Conto, , Jesus, Milagre, Pai

Tapete vermelho

Uma pobre mulher morava em uma humilde casinha com sua neta muito doente. Como não tinha dinheiro sequer para levá-la a um médico, e vendo que, apesar de seus muitos cuidados e remédios com ervas, a pobre criança piorava a cada dia, resolveu iniciar a caminhada de 2 horas até a cidade próxima em busca de ajuda. Chegando no único hospital público da região foi aconselhada a voltar pra casa e trazer à neta junto, para que esta fosse examinada.
Quando ia voltando, já desesperada por saber que sua neta não conseguia sequer levantar da cama, a senhora passou em frente a uma Igreja e como tinha muita fé em Deus, apesar de nunca ter entrado em uma Igreja, resolveu pedir ajuda.
Ao entrar, encontrou algumas senhoras ajoelhadas no chão fazendo orações. As senhoras receberam a visitante e, após se inteirarem da história, a convidaram para se ajoelhar e orar pela criança.
Após quase uma hora de fervorosas orações e pedidos de intercessão ao Pai, as senhoras já iam se levantando quando a mulher lhes disse:
– Eu também gostaria de fazer uma oração.
Vendo que se tratava de uma mulher de pouca cultura, as senhoras retrucaram:
– Não é necessário. Com nossas orações, com certeza sua neta irá melhorar.
Ainda assim a senhora insistiu em orar, e começou.
– Deus, sou eu, olha, a minha neta está muito doente Deus, assim eu gostaria que você fosse lá curar ela Deus, você pega uma caneta que eu vou dizer onde fica.
As senhoras estranharam, mas continuaram ouvindo.
– Já está com a caneta Deus? Você vai seguindo o caminho daqui de volta pra Belo Horizonte e quando passar o rio com a ponte você entra na segunda estradinha de barro, não vai errar tá.
A esta altura as senhoras já estavam se esforçando para não rir; mas ela continuou.
– Seguindo mais uns 20 minutinhos tem uma vendinha, entra na rua depois da mangueira que o meu barraquinho é o último da rua, pode ir entrando que não tem cachorro.

As senhoras começaram a se indignar com a situação.

– Olha Deus, a porta está trancada, mas a chave fica embaixo do tapetinho vermelho na entrada, o Senhor pega a chave, entra e cura a minha netinha.
Mas olha só Deus, por favor! Não esquece de colocar a chave de novo embaixo do tapetinho vermelho senão eu não consigo entrar quando chegar em casa…
A esta altura as senhoras interromperam aquela ultrajante situação dizendo que não era assim que se deveria orar, mas que ela poderia ir pra casa sossegada pois elas eram pessoas de muita fé, e Deus, com certeza, iria ouvir as preces e curar a menina.
A mulher foi pra casa um pouco desconsolada, mas ao entrar em sua casinha sua neta veio correndo lhe receber.
– Minha neta, você está de pé, como é possível!
E a menina explicou.
– Eu ouvi um barulho na porta e pensei que era a senhora voltando, porém entrou um homem muito alto com um vestido branco em meu quarto e mandou que eu levantasse, não sei como, eu simplesmente levantei.
E quase em prantos, a menina continuou.
– Depois ele sorriu, beijou minha testa e disse que tinha de ir embora, mas pediu que eu avisasse a senhora que ele ia deixar a chave embaixo do tapetinho vermelho…

Um pouco de fé, leva-nos até Deus! Muita fé traz Deus até nós!

Amor, lição de vida, Pai

CARTA AO AMADO FILHO

Leobigode

Amado Filho;

O dia em que este velho não for mais o mesmo,

Tenha paciência e me compreendas.

Quando derramar comida sobre minha camisa e esquecer como amarrar meus sapatos, tenhas paciência comigo e lembra-te das horas em que passei te ensinando a fazer as mesmas coisas

Se quando conversares comigo, eu repetir as mesmas histórias, que sabes de sobra como terminam, não me interrompas e me escute. Quando eras pequeno, para que dormisses, tive que te contar milhares de vezes a mesma estória até que fechasses os olhinhos

Quando estivermos reunidos e sem querer fizer  minhas necessidades, não fiques com vergonha. Compreendas que não tenho culpa disso, pois já não as posso controlar. Penses, quantas vezes, pacientemente, troquei tuas roupas para que estivesses sempre limpinho e cheiroso.

Não me reproves se eu não quiser tomar banho, sejas paciente comigo.

Lembra-te dos momentos que te persegui e os mil pretextos que inventava pra te convencer a tomar banho.

Quando me vires inútil e ignorante na frente de novas tecnologias que já não poderei entender, te suplico que me dê todo o tempo que seja necessário, e que não me machuques com um sorriso sarcástico

Lembra-te que fui eu quem te ensinou tantas coisas. Comer, se vestir e como enfrentar a vida tão bem como hoje o fazes. Isso é resultado do meu esforço da minha  perseverança.

Se em algum momento, quando conversarmos, eu me esquecer do que estávamos falando, tenhas paciência e me ajude a lembrar. Talvez a única coisa importante pra mim naquele momento seja o fato de ver você perto de mim, me dando atenção, e não o que falávamos.

Se alguma vez eu não quiser comer, saibas insistir com carinho. Assim como fiz contigo.

Também compreendas que com o tempo não terei dentes fortes, e nem agilidade para engolir.

E quando minhas pernas falharem por estar tão cansadas, e eu já não conseguir mais me equilibrar…

Com ternura, dá-me tua mão para me apoiar, como eu o fiz quando tu começastes a caminhar com tuas perninhas tão frágeis.

E se algum dia me ouvires dizer que não quero mais viver, não te aborreças comigo. Algum dia entenderás que isto não tem a ver com teu carinho ou com o quanto te amo.

Compreendas que é difícil ver a vida abandonando aos poucos o meu corpo, e que é duro admitir que já não tenho mais o vigor para correr ao teu lado, ou para tomá-lo em meus braços, como antes.

Sempre quis o melhor para ti e sempre me esforcei para que teu mundo fosse mais confortável, mais belo, mais florido.

E até quando me for, construirei  para ti outra rota em outro tempo, mas estarei sempre contigo e zelando por ti.

Não te sintas triste ou impotente por me ver assim. Não me olhes com cara de dó. Dá-me apenas o teu coração, compreenda-me e me apoie como o fiz quando começastes a viver. Isso me dará forças e muita coragem.

Da mesma maneira que te acompanhei no início da tua jornada, te peço que me acompanhes para terminar a minha. Trata-me com amor e paciência, e eu te devolverei sorrisos e gratidão, com o imenso amor que sempre tive por ti.

Atenciosamento, Teu Velho

 

AOS PAIS … MÃES …E PRINCIPALMENTE… AOS  FILHOS !!

Amor, Exemplo, Pai

LEILÃO DO FILHO

 

quadro filipe

Um homem muito rico e seu filho tinham grande paixão pelas artes. Tinham de tudo em sua coleção, desde Picasso até Michelangelo. Muito unidos, sentavam-se juntos para admirar as suas grandes obras.

Por uma desgraça do destino, seu filho foi para a guerra. Foi muito valente, mas morreu na batalha quando resgatava outro soldado. O pai recebeu a notícia e sofreu profundamente durante muitos anos. A morte de seu único filho o abalou de tal forma que ele perdeu o prazer pela vida.

Alguns meses depois alguém bateu à porta.

Era um jovem com um grande quadro bonito nas mãos. Ele foi logo dizendo ao pai:

– O senhor não me conhece, mas eu sou o soldado por quem seu filho deu a vida. Ele salvou muitas vidas e salvou a minha também. Quando estava me salvando, uma bala lhe atravessou o peito e ele morreu instantaneamente. Ele falava muito do senhor e contava o quanto o senhor amava as telas que tinha em sua casa.

O rapaz estendeu os braços, entregou uma tela e disse:

– Eu sei que não é muito, e eu também não sou um grande artista, mas sei que seu filho gostaria que recebesse esse quadro. O pai abriu a tela. Era um retrato de seu filho, pintado pelo jovem soldado. Ele olhou com profunda admiração a maneira na qual o soldado havia capturado a personalidade de seu filho na pintura. Ele agradeceu ao jovem e ofereceu-se para pagar pela obra.

– Não, senhor! Eu nunca poderei pagar o que seu filho fez por mim. Essa pintura é um presente.

O pai colocou o quadro à frente de suas grandes obras de arte. Cada vez que alguém visitava a sua casa ele mostrava com orgulho aquele quadro pintado com a imagem do seu filho. O homem morreu alguns meses mais tarde e foi anunciado um leilão de todas as suas obras de arte.

Muita gente importante chegou ao local no dia marcado. Havia muita expectativa para comprar verdadeiras obras de arte. Entre as peças valiosas, estava o retrato do filho. O leiloeiro bateu seu martelo para dar início ao leilão:

– Começaremos o leilão com o retrato “O FILHO”. Quem oferece o primeiro lance? Quanto oferecem por este quadro?

Um grande silêncio… Então, ouviu-se um grito do fundo da sala:

– Queremos ver as pinturas famosas: Van Gogh, Picasso!

O leiloeiro insistiu:

– Alguém oferece algo por essa pintura? R$100,00? R$200,00? Depois de muito o leiloeiro insistir, uma voz disse:

– Eu dou R$10,00 pela pintura. Era um velho jardineiro da casa. Sendo o homem muito pobre, esse era o único dinheiro que podia oferecer.

– Temos R$10,00! Quem dá R$20,00? – gritou o leiloeiro.

Ninguém se manifestou. Então, o leiloeiro bateu o martelo:

– Dou-lhe uma. Dou-lhe duas. Vendida por R$10,00!

E um homem ao fundo disse:

– Agora vamos começar o leilão com as peças valiosas!

O leiloeiro soltou seu martelo e disse:

– Sinto muito, damas e cavalheiros, mas o leilão chegou ao fim.

– Mas, e as pinturas? – perguntaram os interessados.

– Eu sinto muito – disse o leiloeiro –, quando me chamaram para fazer o leilão, havia um segredo estipulado no testamento do antigo dono. Somente a pintura “O FILHO” seria leiloada. Aquele que a comprasse herdaria absolutamente todas as posses deste homem, inclusive as suas famosas pinturas. O homem que comprou “O FILHO” fica com tudo.

 Reflexão: Deus entregou seu único e amado filho, para morrer por nós numa cruz há 2000 anos atrás. Assim, como o leiloeiro, a mensagem hoje é: “Quem ama o Filho tem tudo com o Pai, e herdará suas riquezas.” Deus não mente. Ele é perfeito. Sua palavra nos deixa os Ensinamentos e as promessas para quem o ama.

Conto, ensino, Jesus, Pai, Sabedoria, Uncategorized

Pai começa o começo

Quando eu era criança e pegava uma tangerina para descascar, corria para meu pai e pedia: – “pai, começa o começo!”. O que eu queria era que ele fizesse o primeiro rasgo na casca, o mais difícil e resistente para as minhas pequenas mãos. Depois, sorridente, ele sempre acabava descascando toda a fruta para mim. Mas, outras vezes, eu mesmo tirava o restante da casca a partir daquele primeiro rasgo providencial que ele havia feito.

Meu pai faleceu há muito tempo (e há anos, muitos, aliás) não sou mais criança. Mesmo assim, sinto grande desejo de tê-lo ainda ao meu lado para, pelo menos, “começar o começo” de tantas cascas duras que encontro pelo caminho.

Hoje, minhas “tangerinas” são outras. Preciso “descascar” as dificuldades do trabalho, os obstáculos dos relacionamentos com amigos, os problemas no núcleo familiar, o esforço diário que é a construção do casamento, os retoques e pinceladas de sabedoria na imensa arte de viabilizar filhos realizados e felizes, ou então, o enfrentamento sempre tão difícil de doenças, perdas, traumas, separações, mortes,  dificuldades financeiras e, até mesmo, as dúvidas e conflitos que nos afligem diante de decisões e desafios.

Em certas ocasiões, minhas tangerinas transformam-se em enormes abacaxis…..

Lembro-me, então, que a segurança de ser atendido pelo papai quando lhe pedia para “começar o começo” era o que me dava a certeza que conseguiria chegar até ao último pedacinho da casca e saborear a fruta. O carinho e a atenção que eu recebia do meu pai me levaram a pedir ajuda a Deus, meu Pai do Céu, que nunca morre e sempre está ao meu lado. Meu pai terreno me ensinou que Deus, o Pai do Céu, é eterno e que Seu amor é a garantia das nossas vitórias.

Quando a vida parecer muito grossa e difícil, como a casca de uma tangerina para as mãos frágeis de uma criança, lembre-se de pedir a Deus:

“Pai, começa o começo!”. Ele não só “começará o começo”, mas resolverá toda a situação para você.

Não sei que tipo de dificuldade eu e você estaremos enfrentando ou encontraremos ainda neste ano. Sei apenas que vou me garantir no Amor Eterno de Deus para pedir, sempre que for preciso: “Pai, começa o  começo”.

Autor desconhecido