Bíblia, Deus, Ingratidão, Livramento

SERÁ O FIM? NÃO, MAS OS ÚLTIMOS DIAS

 

Me responda você acredita que o ser humano se encontra nesse estágio:

“Sabe, porém, isto: nos últimos dias sobrevirão tempos difíceis; pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, antes amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe entretanto, o poder. Foge também destes”; “Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar- se-ão de mestres, segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceiras nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas. Tu, porém, sê sóbrio (…)”.
2Tm.3:1-5 e 4:3-5:

Tem tantas profecias na Bíblia sobre o fim do mundo como, terremotos, guerras, pestes e etc… Mas só falta um para se cumprir e esse não demora, leia:

“E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.
Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.
E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim.”
Mateus 24:12-14

Faltam poucos lugares que ainda não ouviram falar de Jesus, com o advento da globalização e da internet a Palavra de Deus tem chegado aos confins do mundo.
O mundo não vai acabar em meio a uma pandemia, em meio a um dos sinais de Deus para alertar a humanidade, não creio, sabe por quê? Quantas vezes ficamos chateados pelo fato de uma pessoa só nos procurar quando quer pedir algo. Não é verdade? Quantos de nós já não pensamos coisas do tipo…
“Fulano só me procura quando precisa…”
Tais pessoas são consideradas por nós de interesseiras. Nós não gostamos de pessoas interesseiras. Pois é…
Deus também não! Não o procure somente nos casos de emergência.
Crie hábito de ser amigo dEle. E isso só se conquista através da pratica da Palavra de Deus e de conversar com Ele (oração).

Porque assim será:
“E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca,
E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.”

Conto, leoes, Livramento, Orientação

Por que Daniel foi lançado na cova dos leões?

Por que Daniel foi lançado na cova dos leões?

Um dos mais belos exemplos do poder da fé na Bíblia também nos traz uma amostra do que pode acontecer quando a maioria que é do mal arquiteta contra a minoria que é do bem. A história está relatada no sexto capítulo do livro de Daniel, na Bíblia. A situação de Daniel na Babilônia era a seguinte:

O rei Dario estabeleceu três presidentes sobre a Babilônia, dos quais Daniel era um. E cento e vinte príncipes prestavam contas aos três. Porém, Daniel se destacou dentre todos eles por ter um espírito excelente — e obviamente por ser um homem justo e de Deus. Por isso, o rei Dario pensava em promover Daniel sobre todos os demais, abaixo apenas do trono. Ao tomarem conhecimento disso, aqueles outros presidentes se uniram aos príncipes para encontrar um meio de se livrarem de Daniel.

Daniel não fez nenhum mal nem praticou nenhum crime. Por que então queriam se livrar dele? É simples: porque a presença de uma pessoa do bem em um posto de autoridade impede o avanço dos projetos do mal

A estratégia foi fazer uma ARMAÇÃO, uma TRAMOIA contra Daniel através de uma lei que atingisse a sua fé. Bolaram uma lei que determinava: qualquer um que, no espaço de trinta dias, fizer uma petição a qualquer deus, senão ao rei, seria lançado na cova dos leões. Eles, todos juntos, venderam esta ideia ao rei como algo que fortaleceria sua imagem e seu governo — mas, na verdade, a intenção era se livrar de Daniel.

Muitas leis ainda hoje são feitas com aparência de fazer o bem, mas o objetivo de seus criadores é neutralizar os que promovem os valores de Deus e da família.

O rei assinou o decreto. E dito e feito: passado alguns dias, os inimigos de Daniel foram até sua casa espreitá-lo e o flagraram orando a Deus. Então, pressionaram o rei para lançá-lo na cova dos leões, o qual “ficou muito penalizado, e a favor de Daniel propôs dentro do seu coração livrá-lo; e até ao pôr do sol trabalhou para salvá-lo.” (v.14) Mas nada mais podia ser feito. Nem o rei pôde livrá-lo. Uma vez uma lei sendo aprovada, só resta obedecer a ela.

Não é a ação dos maus que destrói o mundo, e sim a falta de atitude dos bons.

Com um anel em seu dedo, o rei Dario selou a sentença de Daniel (v.17). Com o seu dedo no dia 7 de outubro, você poderá impedir o avanço dos projetos do mal.

Bispo Renato Cardoso – http://bit.ly/danielnacovadosleoes

Gratidão, Livramento, Oração

Maravilhosa Graça

Antes de ouvir a melodia, leia:

Todo mundo, ou quase todo mundo já ouviu, pelo menos uma vez, a canção Amazing Grace (algo como Maravilhosa Graça), que é uma música tradicional britânica.
O que a maioria não sabe é que essa canção foi composta por um cidadão
britânico de nome John Newton, no século dezoito, depois de uma conversão religiosa.
Ele havia começado uma carreira na Marinha Real, mas abandonou aquilo para tornar-se traficante de escravos. Conta-se que, em uma de suas viagens, seu navio foi atingido em mar alto por uma tempestade.
Newton, então, deu-se conta de que só a Graça Divina o salvaria e orou fervorosamente a Deus.
A graça aconteceu: ele conseguiu escapar são e salvo com o seu navio. Movido por aquilo, John começou a ler o clássico cristão “A Imitação de Cristo”, de Thomas Kempis, e ainda tocado pela Luz que o havia despertado interiormente, mudou a sua vida, libertou todos os escravos que venderia e passou a ser um lutador anti-escravagista.
Compôs, então, a canção Amazing Grace , como agradecimento e um testemunho do que havia se passado com ele, em seu encontro com Deus.
É esta canção que você ouve (e vê) no vídeo anexo, que mostra uma apresentação da mesma pelos meninos do incrível grupo vocal Il Divo , interpretando essa canção emocionante em pleno Coliseu, em Roma, onde, no passado, tantas pessoas perseguidas, maltratadas e escravizadas (inclusive cristãos), encontraram um fim trágico e cruel.

Conhecendo a história, podemos apreciar ainda mais Amazing Grace e a sua interpretação única dos talentosos Il Divo …

Click aqui para assistir.

Fábula, lição de vida, Livramento

Cachorrinho esperto

Um cachorrinho, perdido na selva, vê
um tigre correndo em sua direção.

Pensa rápido, vê uns ossos no chão
e se põe a mordê-los.
Então, quando o tigre está a ponto de
atacá-lo, o cachorrinho diz:
– Ah, que delícia este tigre que
acabo de comer!

O tigre para bruscamente e sai apavorado
correndo do cachorrinho, e no
caminho vai pensando:
“Que cachorro bravo!
Por pouco não come a mim também!”
Um macaco, que havia visto a cena,
sai correndo atrás do tigre e conta
como ele havia sido enganado.

O tigre, furioso, diz:
– Cachorro maldito! Vai me pagar!

O cachorrinho vê que o tigre vem atrás
dele de novo e desta vez traz o macaco
montado em suas costas.
“Ah, macaco traidor! O que faço agora?” –
pensou o cachorrinho.

Em vez de sair correndo, ele ficou
de costas, como se não estivesse
vendo nada.
Quando o tigre está a ponto de atacá-lo
de novo, o cachorrinho diz:

– Macaco preguiçoso! Faz meia hora que
eu o mandei me trazer um outro tigre
e ele ainda não voltou!


“EM MOMENTOS DE CRISE SÓ A
IMAGINAÇÃO É MAIS IMPORTANTE
QUE O CONHECIMENTO.”

Albert Einstein

Livramento, PREOCUPAÇÃO

A HORA MAIS ESCURA DA NOITE

ubatuba-ago-2008-047

Havia um índio da tribo Mayrahú, que morava próximo à um rio e que vivia muito bem com sua família. Ele plantava milho para consumo próprio e o que sobrava trocava com outros companheiros por arroz, trigo e outros cereais. Para complementar a alimentação de sua família ele pescava e caçava pelas redondezas. Durante muito tempo tudo corria na mais imensa paz e sua vida era um imenso mar de rosas, mas o ano que se aproximava lhe trazia surpresas nada agradáveis.

Nesse ano, houve uma seca muito grande, o rio secou, a sua plantação de milho morreu, e os animais que andavam por aquelas redondezas desapareceram. Para piorar as coisas, sua mãe que estava de idade avançada contraiu dengue, seu filhinho contraiu malária e sua esposa que estava grávida de 4 meses acabou tendo um aborto acidental. Tudo isso fez com que o nosso índio ficasse desesperado, pois além de estar passando fome tudo mais em sua vida estava dando errado. Ele já não sabia a quem recorrer e estado de agonia resolveu ir conversar com o ancião da tribo.

Ao chegar para conversar com o ancião, o amigo índio foi logo desabafando e contando todos os problemas que estava passando naquele momento. O ancião apenas ouvia atentamente sem proferir nenhuma palavra. O índio continuou falando, falando, falando até que percebeu que o ancião não havia proferido palavra alguma.

Desesperado e já em prantos, o índio gritou:
– Por favor ancião, me dê uma luz! Será que você não percebe o meu desespero. Já não sei mais o que fazer da minha vida.

O ancião suspirou e com uma voz calma disse:
– Meu filho, alegre-se, pois a hora mais escura da noite é aquela em que o sol está mais próximo de nascer.

Livramento

A CORDA SOBRE O ABISMO

corda-bamba

Os discípulos perguntaram certa vez:

– Explique-nos, querido Mestre como podemos alcançar a salvação?

Então, passou a lhes contar esta história:

Um rei tinha dois amigos que foram declarados culpados de um crime e condenados à morte. Ora, embora o rei gostasse muito deles, não ousou libertá-los imediatamente por medo de dar mau exemplo ao povo. Por isso, este foi seu veredicto:

– Uma corda deve ser esticada sobre um abismo profundo e cada um dos dois homens caminhará sobre ela – para a salvação e a liberdade ou, se caírem, para a morte.

O primeiro atravessou com segurança. O outro gritou para o primeiro, através do abismo:

– Amigo, diga-me como conseguiu.

Respondeu o primeiro:

– Como posso saber? Tudo que fiz foi isto:

quando me via pendendo para um lado, inclinava-me para o outro lado.

nisso consiste a salvação, você concorda ou sem corda?

Livramento

ABRINDO PORTAS

porta

Numa terra em guerra, havia um rei que causava espanto.

Cada vez que fazia prisioneiros, não os matava, levava-os a uma sala, que tinha um grupo de arqueiros em um canto e uma imensa porta de ferro do outro, na qual haviam gravadas figuras de caveiras.

Nesta sala ele os fazia ficar em círculo, e então dizia:

– Vocês podem escolher morrer flechados por meus arqueiros, ou passarem por aquela porta e por mim lá serem trancados.

Todos os que por ali passaram, escolhiam serem mortos pelos arqueiros.

Ao término da guerra, um soldado que por muito tempo servira o rei, disse-lhe:

Senhor, posso lhe fazer uma pergunta?

– Diga, soldado.

– O que havia por trás da assustadora porta?

– Vá e veja.

O soldado então a abre vagarosamente, e percebe que a medida que o faz, raios de sol vão adentrando e clareando o ambiente, até que totalmente aberta, nota que a porta levava a um caminho que sairia rumo a liberdade.

O soldado admirado apenas olha seu rei que diz:

Eu dava a eles a escolha, mas preferiram morrer a arriscar abrir esta porta.

Quantas portas deixamos de abrir pelo medo de arriscar ?

Quantas vezes perdemos a liberdade, apenas por sentirmos medo de abrir a porta de nossos sonhos?

1520726_1432819840268789_800573309_n