Ingratidão

INGRATIDÃO

 

 

2passaros

Conta-se que certa vez, o dono de uma fazenda viu um ninho de passarinho caprichosamente construído entre as ripas da varanda de sua casa. Quando os filhotes já estavam emplumados, mas ainda incapaz de voar, o fazendeiro transferiu à noite, com cautela, o tal ninho para uma ampla gaiola; porém os seus pais vinham várias vezes ao dia para alimenta-los.

Tão logo os tenros filhotes apresentaram o aspecto de poderem encetar vida autônoma, o fazendeiro os libertou; contudo, teve o cuidado prévio de capturar, em uma arapuca, os pais, colocando-os na gaiola vazia dos filhotes.

Incontinente, esses filhotes voaram para lugares distantes. Em vão, o curioso fazendeiro esperou vários dias que os filhotes voltassem para alimentar os pais, ou pelo menos, para fazer-lhes uma visita carinhosa. Ao contrário, os deixaram abandonados à sua negra sorte!

Quem poderá informar quantos são os milhares e milhares de filhos ingratos e de coração endurecido que têm abandonado os seus idosos e alquebrados pais, pobres, enfermos e inválidos?

2 comentários em “INGRATIDÃO”

  1. Faço das palavras da Fellina Fire as minhas, quando diz; Odeio quem maltrata idosos, esse povo esquece que antes da morte o futuro é envelhecer, um dia todos nos envelheceremos então mais respeito com os velhinhos! Falo mesmo, quem não gosta de velhinhos morra novo!

    Curtir

  2. Um país que não trata bem suas crianças, também despreza seus idosos. É um país de futuro incerto porque despreza seu futuro e ignora a experiência de vida.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s