Cultura, Educação

EIS O PERIGO DE MEXER COM PESSOAS INTELIGENTES

Adorei a resposta do Danilo Gentili, inteligentíssimo!

O humorista Danilo Gentili postou a seguinte piada no seu twitter:
“King Kong, um macaco que, depois que vai para a cidade e fica famoso, pega uma loira. Quem ele acha que é? Jogador de futebol?”

A ONG Afrobras se posicionou contra: “Nos próximos dias devemos fazer uma carta de repúdio. Estamos avaliando ainda uma representação criminal”, diz José Vicente, presidente da ONG. “Isso foi indevido, inoportuno, de mau gosto e desrespeitoso. Desrespeitou todos os negros brasileiros e também a democracia. Democracia é você agir com responsabilidade” , avalia Vicente.

Alguns minutos após escrever seu primeiro “twitter” sobre King Kong, Gentili tentou se justificar no microblog:

“Alguém pode me dar uma explicação razoável por que posso chamar gay de veado, gordo de baleia, branco de lagartixa, mas nunca um negro de macaco?” (GENIAL)”Na piada do King Kong, não disse a cor do jogador. Disse que a loira saiu com o cara porque é famoso. A cabeça de vocês é que têm preconceito.”

Mas, calma! Essa não foi a tal resposta genial que está no título, e sim ESTA:

“Se você me disser que é da raça negra, preciso dizer que você também é racista, pois, assim como os criadores de cachorros, acredita que somos separados por raças. E se acredita nisso vai ter que confessar que uma raça é melhor ou pior que a outra, pois, se todas as raças são iguais, então a divisão por raça é estúpida e desnecessária. Pra que perder tempo separando algo se no fundo dá tudo no mesmo?

Quem propagou a ideia que “negro” é uma raça foram os escravagistas. Eles usaram isso como desculpa para vender os pretos como escravos: “Podemos tratá-los como animais, afinal eles são de uma outra raça que não é a nossa. Eles são da raça negra”.

Então quando vejo um cara dizendo que tem orgulho de ser da raça negra, eu juro que nem me passa pela cabeça chamá-lo de macaco, MAS SIM DE BURRO.

Falando em burro, cresci ouvindo que eu sou uma girafa. E também cresci chamando um dos meus melhores amigos de elefante. Já ouvi muita gente chamar loira caucasiana de burra, gay de v***** e ruivo de salsicha, que nada mais é do que ser chamado de restos de porco e boi misturados.

Mas se alguém chama um preto de macaco é crucificado. E isso pra mim não faz sentido. Qual o preconceito com o macaco? Imagina no zoológico como o macaco não deve se sentir triste quando ouve os outros animais comentando:

– O macaco é o pior de todos. Quando um humano se xinga de burro ou elefante dão risada. Mas quando xingam de macaco vão presos. Ser macaco é uma coisa terrível. Graças a Deus não somos macacos.

Prefiro ser chamado de macaco a ser chamado de girafa. Peça a um cientista que faça um teste de Q.I. com uma girafa e com um macaco. Veja quem tira a maior nota.

Quando queremos muito ofender e atacar alguém, por motivos desconhecidos, não xingamos diretamente a pessoa, e sim a mãe dela. Posso afirmar aqui então que Darwin foi o maior racista da história por dizer que eu vim do macaco?

Mas o que quero dizer é que na verdade não sei qual o problema em chamar um preto de preto. Esse é o nome da cor não é? Eu sou um ser humano da cor branca. O japonês da cor amarela. O índio da cor vermelha. O africano da cor preta. Se querem igualdade deveriam assumir o termo “preto” pois esse é o nome da cor. Não fica destoante isso: “Branco, Amarelo, Vermelho, Negro”?. O Darth Vader pra mim é negro. Mas o Bill Cosby, Richard Pryor e Eddie Murphy que inspiram meu trabalho, não. Mas se gostam tanto assim do termo negro, ok, eu uso, não vejo problemas. No fim das contas, é só uma palavra. E embora o dicionário seja um dos livros mais vendidos do mundo, penso que palavras não definem muitas coisas e sim atitudes.

Digo isso porque a patrulha do politicamente correto é tão imbecil e superficial que tenho absoluta certeza que serei censurado se um dia escutarem eu dizer: “E aí seu PRETO, senta aqui e toma uma comigo!”. Porém, se eu usar o tom correto e a postura certa ao dizer “Desculpe meu querido, mas já que é um afrodescendente, é melhor evitar sentar aqui. Mas eu arrumo uma outra mesa muito mais bonita pra você!” Sei que receberei elogios dessas mesmas pessoas; afinal eu usei os termos politicamente corretos e não a palavra “preto” ou “macaco”, que são palavras tão horríveis.

Os politicamente corretos acham que são como o Superman, o cara dotado de dons superiores, que vai defender os fracos, oprimidos e impotentes. E acredite: isso é racismo, pois transmite a ideia de superioridade que essas pessoas sentem de si em relação aos seus “defendidos”

Agora peço que não sejam racistas comigo, por favor. Não é só porque eu sou branco que eu escravizei um preto. Eu juro que nunca fiz nada parecido com isso, nem mesmo em pensamento. Não tenham esse preconceito comigo. Na verdade, SOU ÍTALO-DESCENDENTE. ITALIANOS NÃO ESCRAVIZARAM AFRICANOS NO BRASIL. VIERAM PRA CÁ E, ASSIM COMO OS PRETOS, TRABALHARAM NA LAVOURA. A DIFERENÇA É QUE ESCRAVA ISAURA FEZ MAIS SUCESSO QUE TERRA NOSTRA.

Ok. O que acabei de dizer foi uma piada de mau gosto porque eu não disse nela como os pretos sofreram mais que os italianos. Ok. Eu sei que os negros sofreram mais que qualquer raça no Brasil. Foram chicoteados. Torturados. Foi algo tão desumano que só um ser humano seria capaz de fazer igual. Brancos caçaram negros como animais. Mas também os compraram de outros negros. Sim. Ser dono de escravo nunca foi privilégio caucasiano, e sim da sociedade dominante. Na África, uma tribo vencedora escravizava a outra e as vendia para os brancos sujos.

Lembra que eu disse que era ítalo-descendente? Então. Os italianos podem nunca ter escravizados os pretos, mas os romanos escravizaram os judeus. E eles já se vingaram de mim com juros e correção monetária, pois já fui escravo durante anos de um carnê das Casas Bahia.

Se é engraçado piada de gay e gordo, por que não é a de preto? Porque foram escravos no passado hoje são café com leite no mundo do humor? É isso? Eu posso fazer a piada com gay só porque seus ancestrais nunca foram escravos? Pense bem, talvez o gay na infância também tenha sofrido abusos de alguém mais velho com o chicote.

Se você acha que vai impor respeito me obrigando a usar o termo “negro” ou “afrodescendente” , tudo bem, eu posso fazer isso só pra agradar. Na minha cabeça, você será apenas preto e eu, branco, da mesma raça – a raça humana. E você nunca me verá por aí com uma camiseta escrita “100% humano”, pois não tenho orgulho nenhum de ser dessa raça que discute coisas idiotas de uma forma superficial e discrimina o próprio irmão.”

_____________________________________________________xxx______

6 comentários em “EIS O PERIGO DE MEXER COM PESSOAS INTELIGENTES”

  1. É, o cara é inteligente, mas tem umas coisas que ele não sabe e, que eu tabém não sei.
    Porque temos cor diferentes? Com que motivo Deus fez essa diferença?

    Curtir

  2. Bom! Destacadamente a identificação da raça humana.
    Logicamente a questão histórica e de tutela dos direitos das minorias devem ser perqueridas em nossa hodierna complexa e multicultural sociedade de massa brasileira, mas sem caráter absoluto de supostos direitos superiores a outros, principalmente no escopo do trato étinico no país, já que não há raças multicoloridas mas, repita-se, há a raça humana.
    A isonomia deve ser garantida sempre, sem distinções materiais coloridas “in casu” ou mesmo sem esteriótipos “politicamente corretos”.
    A integração e interação social étnica é um pilar democrático, onde a isonomia mostra-se como seu instrumento de efetividade, eu creio, desde que aplicada de maneira razoável sempre.
    Portanto tenho orgulho em dizer que sou “cariano”: metade carioca (nascimento) e metade baiano (ascendência paterna). Quer maior brasilidade que isso… Sou brasileiro! Abs a todos os irmãos e irmãs da raça humana (desde que o debate seja sempre salutar e construtivo ao conhecimento e bem estar humano…). Marcio Vieira (RJ)

    Curtir

  3. Preto ou negro ? Qual será o mais escuro ? Será que estão brigando por quem brilha mais quando o ambiente está iluminado? A Princesa Isabel, quando não resistiu mais à pressão dos ruralistas, que não queriam sustentar seus escravos, nem pensou em negro ou preto. Atendeu os brancos e jogou a negritude na miséria, onde a maioria vive até hoje. E a chamam de “Redentora”. Foi mesmo a “Predadora” e atirou toda uma raça ao analfabetismo, pobreza fome e, consequentemete, em sua maioria, ao crime e a residir em favelas. Portanto, preto ou negro, não importa. Tenho muitos amigos queridos a quem abraço e chamo “meu preto” e ficam felizes e orgulhosos. Essa história de discriminação é de quem não tem absolutamnte nada a fazer e procura encrenca, ou de pretos que querem se sobressair e virar negros, talvez criando uma nova raça: a do xô crioulo !!!

    Curtir

  4. De fato o termo não importa, pois discriminação não se carrega na epiderme, mas nas mentes inferiores dos que precisam enxergar mais ainda as diferenças do que as igualdades de que todo ser humano compartilha com seus semelhantes.
    P.S: juro que tentei ler o texto do márcio, mas antes de terminar o primeiro parágrafo pulei direto para o “cariano” rsrsrs.

    Gostei do texto, interessante é que estas “entidades” defensoras das minorias (nada menores), entendam que nem toda opinião é dada por impulso de um simples ignorante.

    Curtir

  5. Achei muito interessante o relato e gostei principalmente quando ele disse “Na minha cabeça, você será apenas preto e eu, branco, da mesma raça – a raça humana.”

    Curtir

  6. DIZER QUE UMA PESSOA É RACISTA POR CAUSA DISSO, É NÃO TER O QUE FAZER MESMO, É QUERER APARECER.

    PARABÉNS PELA RESPOSTA DANILO, SOU BRANCO NA MINHA CERTIDÃO, PARDO NA MINHA COR E NETO DE NEGÃO, OU MULATO COMO DIZ O MEU PAI, “SEU AVÔ ERA UM MULATO MUITO BONITO”, SERÁ QUE TEM ESSA RAÇA OU O MEU PAI É RACISTA DO PRÓPRIO PAI?.

    NA REALIDADE NÃO SEI DE QUE COR EU SOU, MINHA MÃE É FILHA DE ÍNDIOS, NA CERTIDÃO DELA DIZ QUE É BRANCA, MEU PAI É FILHO DE PORTUGUESES (UMA BRANCA E UM NEGÃO), NA CERTIDÃO DELE A COR É BRANCA. FUI DAR UMA OLHADA NA MINHA CERTIDÃO DE NASCIMENTO PARA ME CERTIFICAR NÃO DIZ QUE SOU DA RAÇA BRANCA, COR BRANCA E ACREDITO QUE NA CERTIDÃO DO MEU AVÔ NEGÃO DIZ QUE ELE É DA COR PRETA/NEGRA,PEDI AO MEU PAI UMA CÓPIA SE ELE LIBERAR VOU POSTAR AQUI, AS ÚNICAS COISAS QUE HERDEI DELE FOI O MEU NARIZ E O BILAU INDIGESTO(SOU MODESTO),
    SOU CASADO COM UMA LOIRA FILHA DE DESCENDENTE DE ALEMÃO E MINEIRO, TEMOS UMA FILHA – QUE RAÇA É ELA?, (TI GARANTO QUE NÃO É RAÇA RUIM, É GENTE BOA NÃO ME DÁ TRABALHO), NÃO SOU FAMOSO, E TÔ TENTANDO UMA COTA NA FACULDADE, DECLAREI PRO IBGE QUE SOU PARDO FILHO DE ÍNDIO COM PORTUGUÊS E NETO DE NEGRO/PRETO, NÃO POSSO PERDER A BOCADA.
    VOU TIRAR A DUPLA CIDADANIA E TÔ JUNTANDO GRANA PRA IR A PORTUGAL E VER SE CONSIGO A TRIPLA CIDADANIA A AFRICANA DA DESCENDÊNCIA DO MEU AVÔ É SÓ ESTOU AGUARDANDO FUNDAREM A TAL NAÇÃO INDÍGENA PARA TER A QUADRUPLA CIDADANIA E
    É CLARO APROVEITAR AS BENÉSSES DO GOVERNO

    SE PRECISAR POSSO COMPROVAR O QUE ESCREVO.

    DOMINGOS RODRIGUES.´.
    COR INDEFINIDA
    RIO DE JANEIRO

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s